sábado, 29 de setembro de 2012

Tudo começou no barro...

Meu primeiro contato com a arte escultórica se deu pelo barro. Quando criança brincava de fazer bois, cavalos, panelas de barro... Passava horas brincando com isso, moldava, botava pra secar no sol, criava meus rebanhos... Mas o que é o barro afinal? Ai, relembro as aulas de solos e de mineralogia do professor Emídio e da professora Marlene, dos tempos do Curso de Zootecnia na Universidade Federal Rural de Pernambuco. Eles nos ensinavam mais ou menos assim: Os solos em sua constituição mineralógica são constituídos de areia, silte e argila.
A argila, o barro como o conhecemos, é originada da desagregação de algumas rochas por ataque químico ou físico, produzindo a fragmentação em partículas muito pequenas que tem em sua composição basicamente sílica e alumínio. Em diversas áreas a argila é empregada, inclusive na medicina, mas, por suas características de plasticidade enquanto úmida e de extrema dureza depois de aquecida, é largamente utilizada na cerâmica para construir artefatos desde tijolos até semicondutores empregados para computadores. Encontrada abundantemente na natureza, geralmente próxima de rios, pode ser reciclada e mantida em seu estado natural por anos. Há milhares de anos já se fazia objetos de argila. A melhor argila para se trabalhar em escultura deve estar bem amassada, maleável e ligeiramente firme. O barro é um dos materiais artísticos mais versáteis disponíveis. O barro pode ser moldado e esculpido em qualquer coisa que a sua imaginação pode imaginar.